A importância do pequeno almoço, Parte 2: as crianças

Olá rainhas.

Hoje quero partilhar com vocês algo que me incomoda profundamente. A má alimentação dada pelos pais a muitas crianças.

Eu cresci com a minha mãe sempre enfiada na cozinha a preparar comida caseira para mim e para os meus irmãos. Lembro-me dela fazer bolos, bolachas, scones e iogurtes, papas que depois adicionava fruta, pão, doces, tartes salgadas, muesli, granola,  salsichas frescas e muito mais. Isso sempre me fascinou. E que alegria era estar naquela cozinha cozinhar e aprender com ela. Naquela altura, o tempo também era curto para ela, isto porque tinha dois trabalhos, mas arranjava sempre maneira para nos preparar comida caseira e o mais saudavel possível. Posso-vos dizer que a vida nessa altura era um pouco difícil e que o dinheiro era muito apertado. A minha mãe tinha 18 anos, tinha duas filhas e estava sozinha, então foi sempre muito criativa na cozinha. Hoje, adulta, preocupo-me, por causa dela com o que como porque recebi essa mensagem desde pequena. Perceber de onde vem a comida e como era feita antes de chegar ao nosso prato e conseguir recria-la em casa.

Eu não tenho filhos mas tenho 6 sobrinhos. Dos meus 8 irmãos e irmãs (não são todos da minha mãe). Eu sou, infelizmente a única que tem uma maneira diferente de ver a comida e a única que optou por uma vida e alimentação saudável e equilibrada. Quando tenho o prazer de ter os meus sobrinhos comigo, dou sempre o meu melhor em educá-los sobre a importância de uma boa alimentação. Estes ensinamentos são para os acompanhar para o resto das sua vidas, esperando que optem por este caminho saudavel.

Comigo eles já sabem que não comem cereais industrializados, bolachas (uma vez por outra cedo à pressão🤦‍♀️) ou pizzas compradas nos supermercados, entre outras coisas (não, não sou a tia aborrecida). Claro que expliquei tudo muito bem e da maneira mais simples para perceberem o porquê desta minha decisão. A razão maior de todas: o açúcar e os imensos ingredientes e aditivos nefastos que são muito maus para a saúde.

Picky-eating-commonly-asked-questions_resized

Por incrível que pareça eles foram sempre muito receptivos. Nunca foi nada forçado, e hoje em dia são eles que pedem para fazer as bolachas, os bolos, a “nutella”, as pizzas, as panquecas e até os gelados de apenas 2 ou 3 ingredientes. Quando me acompanham ao supermercado não pedem nada, apenas querem saber do que eu vamos precisar para fazer algo que gostam.  Eu faço questão de tornar os fins de semana comigo sempre divertidos e nada aborrecidos. Eles também são os meus bebés e eu quero o melhor para eles. A minha mensagem para os meus sobrinhos é para tentarem fazer sempre as escolhas mais acertadas no que toca a alimentação, para assim evitarem problemas de saúde no futuro.

“É de pequenino que se torce o pepino” já dizia a minha mãe.  Nós, os adultos somos o exemplo deles. É um dever dar os melhores exemplos, essa é para mim a melhor maneira de proteger os vossos filhos e no meu caso sobrinhos.

A comunidade africana é das que mais mal se alimenta em Portugal. Basta ir aos food courts dos centros comerciais para se aperceber disso. Os africanos são os que menos se aventuram em outros tipo de restaurantes além dos fast foods. Não vão a restaurantes por acharem que são caros e optam pelo fast food por ser mais barato, mesmo que seja a pior hipótese de todas para a saúde.

O que te deves perguntar é: porque é que é tão barato?

O maior desafio de todos foi sem duvida os pequenos-almoços. Queriam comer cereais à frente da televisão ou enquanto jogavam playstation. Queriam copos de leite com pacotes de bolachas, e faziam birras porque não queriam comer fruta de manhã. Queriam iogurtes de fruta (supermercado) com cereais (chocapic) misturados, leite com chocolate e com açúcar, sumos de laranja de pacote, cereais dentro do pão com doce… meu Deus, não fazem ideia. Um lista infindável de más escolhas. Mas lá consegui. Tive que literalmente reajustar o paladar deles, da maneira mais carinhosa possível. E até conseguir isso, ainda houve muitas caretas e muitas birras.

Acredito que as crianças devem começar bem o dia com um pequeno almoço bom, equilibrado e saudavel e adaptada ás necessidades delas.

shutterstock_277030685-1_tcm150-45260

Dicas úteis para incentivar um bom pequeno almoço e criar hábitos alimentares saudáveis 

O que  podem fazer se os vossos filhos não quiserem comer de manhã? Lembrem-se de que novos hábitos nunca acontecem da noite para o dia, (eu que o diga) portanto, não desistam se isso for difícil.

  • Faz do pequeno-almoço parte da vossa rotina matinal – se só fizerem isso uma vez por outra, então não vai parecer importante e não vão levar a sério.
  • Faz do pequeno-almoço  uma maneira divertida de começar o dia e não uma obrigação.
  • Acorda de manhã mais cedo (pelo menos 15 minutos antes) para que tenhas tempo de preparar um bom pequeno almoço para o teu filho. Se eles já tiverem uma certa idade, eles que te ajudem na preparação.
  • Evita distracções – NÃO há televisão nem telemóveis! 
  • Cria o hábito de comerem à mesa todos juntos. Aqui é uma oportunidade de saber sobre o dia deles, de conversarem e fortalecerem os laços familiares.
  • Algumas crianças podem precisar de algum tempo entre se levantar e tomar o pequeno-almoço. Não as apressem directamente para a mesa. Na verdade, pode ser mais relaxante para eles se forem tomar o banho, vestirem-se e organizarem-se, para depois sentarem-se e aproveitarem a refeição.
  • Incentivem-nos a comer algo pequeno – o importante é comer algo nesse momento, talvez uma peça de fruta favorita. Uma vez estabelecida a rotina, é mais fácil aumentar o alcance ou o volume dos alimentos ingeridos.
  • Se o teu filho só come uma pequena quantidade de comida de manhã,  escolhe uma comida satisfatória (como um sandes pequena, uma mistura de iogurte natural com frutas,…)
  • Se é uma luta para que o teu filho coma antes da escola, experimenta um batido de frutas ou considera dar-lhes algo para comer no caminho para a escola, como um sandes extra ou uma barra de cereais caseira e uma peça de fruta.
  • Faz do pequeno-almoço um momento divertido e não uma obrigação. A probabilidade de comerem com mais gosto é mais forte.
  • Envolve-os na preparação do pequeno-almoço e em experimentar novos alimentos de maneiras diferentes e criativas.

Dica útil: Desencoraja o teu filho a tomar o pequeno-almoço à frente da televisão. Isso também pode ajudar a acelerar tuas rotinas matinais!

Pequeno-almoço não precisa de levar horas para preparar. Aqui estão algumas sugestões saudáveis, rápidas, deliciosas e divertidas para o pequeno almoço do teu filho. Por que não tentar:

  • Cereais integrais como por exemplo, flocos de aveia, muesli, farelo de trigo, flocos de trigo integral, arroz tufado integral etc. 
  • Torrada Integral ou de cereais com manteiga de amendoim e banana ou queijo fresco e morangos.
  • Iogurte natural com frutas frescas 
  • Papas de aveia com fruta
  • Pudim de tapioca com banana ou outra fruta
  • Batidos de frutas com leite (ou opção de leite vegetal) banana e morango é um dos favoritos
  • Sandes de pão integral tostado com queijo e tomate ou banana e mel. Uma delícia!
  • Muffins, bolinhos ou bagels integrais. Caseiros, claro!
  • Nos dias que tens mais tempo, como as folgas, panquecas e waffles com frutas e mel.
  • Purés de fruta para os mais pequenos: maça cozida e banana; banana e laranja; Pera, pêssego e maça;
batido-banana-laranja-manga

Dica: Tenta limitar ou cortar por completo os sumos de frutas de pacote, porque não contém fruta e estão carregados de açúcar. Os sumos feitos em casa podes diluir com um pouco de água ou em vez disso, optar por comer a fruta por causa da fibra! 

Eu sei que, com a correria do dia a dia o conveniente é mais prático e a alimentação acaba por ficar em segundo plano, mas na minha opinião dar comida de conveniência, pré feita e processada (como cereais,  bolachas, papas, purés de frutas, comida de bebe, etc) comidas essas que estão carregadas de açúcar, entre outras coisas, logo pela manhã ás crianças, quando uma mãe o pode fazer em casa, é bárbaro.  Sim, eles dizem que tem adição de vitaminas, cálcio, ferro, que ajuda no crescimento do bebé ou da criança… mas não acham que se o fizerem o resultado é o mesmo? Para não dizer que vão poupar muito mais.  A minha mãe sempre  fez os purés de fruta para bebé e eu ainda hoje faço porque adoro comer com iogurte e os meus sobrinhos também. Pesquisem e informem-se. Acreditem que fica muito mais barato se o fizerem em casa e claro é muito mais saudável para os vossos filhos. Eu também já comi Cerelac e Néstum, e devorei pacotes inteiros de bolachas quando era pequena mas foi tão poucas vezes que mal me lembro.

Viewty

Se possível, define um dia que exige que todos os membros da família tenham o pequeno-almoço todos juntos pelo menos uma vez por semana, de preferência aos Domingos. Faz disso uma regra fundamental pelo menos uma vez por semana. Lembra-te de que os teus filhos tentam imitar-te e se perceberem que tu não tomas o pequeno-almoço, é provável que eles sigam teu comportamento. Talvez seja necessário dar um exemplo para mostrar que o pequeno-almoço pode ser uma boa ideia, tanto para vocês quanto para a vossa família. Vocês também podem e devem incentivar os vossos filhos a comerem de manhã, pedindo-lhes para vos ajudar a planear um menu semanal de pequenos almoços pedindo-lhes ajuda na preparação e a pôr a mesa para o curso matinal de uma refeição nutritiva.

image-weight-loss-31

As crianças são o nosso futuro e o nosso bem mais precioso.

Beijinhos mamãs África

Author: África vaidosa

Abomino a indiferença entre as pessoas. Eu sou eu. Com algumas falhas mas com muitas coisas boas.

Ajudou-te?

Please log in using one of these methods to post your comment:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s